NOVIDADES

Afetando a decisão de compra

O processo de decisão de compra é algo que envolve diversos aspectos, em diferentes etapas, em níveis conscientes e subconscientes. A mecânica e a psicologia por trás dessa dinâmica é, há muito tempo, objeto de estudo dos profissionais de comunicação, marketing e design que buscam a diferenciação das suas marcas em relação aos concorrentes.

Porém, quando se trata de varejo, no final das contas é no ponto de venda que o consumidor vai fazer sua escolha final e selecionar o produto que vai entrar no seu carrinho.

Nesse curto intervalo de tempo, todo o investimento em marketing feito naquele consumidor tem seu papel na comparação consciente e subconsciente que ele faz entre as marcas, a poucos segundos da decisão final de compra. E é nesses poucos e cruciais segundos que um fator pode fazer toda a diferença e decretar o sucesso ou fracasso da estratégia como um todo: a embalagem.

De acordo com a pesquisa Packaging Matters, da MeadWestVaco Corporation, a maioria dos consumidores no Brasil considera a embalagem mais importante do que a própria marca do produto. Nada menos que 60% dos entrevistados afirmou que a embalagem tem importância preponderante no processo de compra.

Aqui, temos a combinação entre a marca, que é um objeto do design gráfico e branding, e a embalagem, que se enquadra como uma simbiose entre design gráfico e design de produto. E números como os revelados pela pesquisa acima justificam que não apenas é importante o cuidado com o desenvolvimento da marca, mas que a qualidade da embalagem também pode desempenhar um papel importantíssimo na imagem da empresa junto ao consumidor.

A embalagem no contexto do autosserviço

06f3fb95f4d94a18e2dfeeb737572701

No período pós-guerra, o modelo de autosserviço se tornou predominante em todo o comércio. Os supermercados dominaram o varejo com suas prateleiras e gôndolas lotadas de produtos e sem vendedores para auxiliar os consumidores.

Nesse contexto, a embalagem se tornou algo de suma importância. Ela deixou de ser apenas um invólucro para as mercadorias, passando a ser também material de extrema utilidade e eficiência no sentido de divulgar as características dos produtos e também de atrair a atenção do consumidor no momento crucial da decisão de compra, em que ele está diante de uma vasta gama de opções disponíveis.

A partir daí, as marcas passaram a investir cada vez mais no desenvolvimento de suas embalagens, tanto no aspecto informacional quanto promocional e funcional. A junção desses fatores passou a ser vista como um poderoso recurso para aumento de vendas no varejo. Os números da pesquisa confirmam a coerência desse pensamento: 79% dos consumidores entrevistados afirmou já ter experimentado um novo produto apenas porque a embalagem chamou sua atenção entre os concorrentes. Além disso, 46% disse ter trocado de marca devido a experiências negativas com uma embalagem — daí a importância da funcionalidade, citada acima como um dos fatores relevantes nesse aspecto.

Num cenário de alta competitividade entre as marcas, especialmente no ponto de venda, onde o consumidor é exposto a uma infinidade de opções de produtos concorrentes, embalagens de qualidade fazem a diferença. Por qualidade, entenda muito mais do que beleza e estética. A eficiência em termos de informação, coerência com o que a marca quer transmitir, promoção e funcionalidade também são essenciais, portanto, leve esses fatores em consideração na hora de definir seus investimentos no design da embalagem de seus produtos, pois este é um dos pontos chave para melhorar seus resultados!

Fonte: Blog DesignMarca